Outubro Rosa: prevenção contra o câncer de mama

Outubro Rosa: prevenção contra o câncer de mama

 

Neste mês, comemora-se em todo o mundo o Outubro Rosa, mês que conscientiza a população a se prevenir contra o câncer de mama. A ideia da campanha surgiu nos Estados Unidos na década de 90 e se expandiu aos quatro cantos.

A cor virou um símbolo do mês depois que diversas instituições adotaram um laço rosa para representar a campanha. Esse tipo de câncer é o segundo mais comum em mulheres no Brasil e atinge cerca de 29% delas todo ano, segundo o Instituo Nacional de Câncer (INCA).

 

Sobre a doença

 

O câncer de mama é uma alteração genética em conjuntos de células da mama. Por conseguinte, transforam-se em tumor maligno.

A doença se prolifera de diversas formas diferentes, o que varia para cada organismo. Em uns se manifestam mais rápido, em outros de forma mais silenciosa e lenta.

Ainda segundo o INCA, a estatística de mortes de mulheres no último ano (2018) no Brasil, foi de mais de 16 mil.

 

Sintomas

 

O principal sintoma do câncer de mama é uma anomalia saliente (nódulo) na área dos seios. Geralmente, é sólido e seu aparecimento indolor. Outros sintomas, que são pontuados pelo Ministério da Saúde, são:

 

• Edema cutâneo (na pele), semelhante à casca de laranja;
• Retração cutânea
• Inversão do mamilo
• Hiperemia;
• Descamação ou ulceração do mamilo;
• Secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea.

 

 

Tratamento

 

O tratamento para o câncer de mama é feito de diversas modalidades que são estipuladas pelo médico. Tudo depende do local que está localizado, tipo e tamanho do tumor.

O tratamento é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que disponibiliza desde cirurgia a quimioterapia para pacientes com neoplastia mamária maligna. Segundo a lei nº 12.732, a pessoa em questão pode submeter o primeiro tratamento no prazo de até 2 meses a partir do dia do diagnóstico.

 

Prevenção

 

A melhor forma de prevenção é fazer exames esporádicos. Toda mulher acima de 35 anos deve-se atentar sempre para qualquer anomalia na área dos seios. Se detectada, a mesma deve procurar um médico o mais rápido possível.

Entretanto, existem fatores de risco que deixam a mulher mais propensa e vulnerável. Entre eles são:

 

• Ter uma má alimentação e nutrição;
• Não praticar atividade física;
• Gordura corporal não balanceada.

 

Contudo, é importante que, assim que descoberto, o câncer seja tratado. A qualidade de vida do paciente e de seus familiares é a prioridade. Além dos tratamentos para a doença, deve-se sempre cuidar, também, da saúde mental e espiritual. Em momentos delicados em que uma doença ameaça a vida, todos devem estar atentos com os cuidados paliativos (OMS).